Cigarrinhas dos Citros, Vetoras da Bactéria Xylella fastidiosa Wells et al.: Pragas Potenciais para a Citricultura Sergipana

Ruberval Leone Azevedo, Marcel Faria Lima

Resumo


A citricultura no Brasil exerce um papel de grande importância econômica, social, gerando empregos, renda e desenvolvimento. O Brasil é o maior produtor mundial de citros, o Estado de Sergipe destaca-se em 5º lugar nacional em produção. Dentre os vários problemas fitossanitários enfrentados pela citricultura brasileira está a Clorose Variegada dos Citros (CVC), conhecida como amarelinho, causada pela bactéria Xylella fastidiosa Wells et al. A CVC foi identificada oficialmente no Brasil, em 1987, em pomares do Triângulo Mineiro e do Norte e Noroeste do Estado de São Paulo. No Nordeste, foi constatada em 1996 em Sergipe no município de Boquim, e em 1997 na Bahia, nos municípios de Rio Real e Itapicuru. O objetivo foi revisar a literatura sobre as espécies de cigarrinhas vetores da CVC, e verificar se ocorrem no estado de Sergipe. Os primeiros sintomas são vistos nas folhas, passam posteriormente para os frutos e acabam afetando toda a planta, e para serem percebidos pode levar entre 5 meses e 2 anos. Os principais vetores da X. fastidiosa em citros são as cigarrinhas da família Cicadellidae. No Brasil já foram confirmadas 12 espécies de cigarrinhas vetoras. Para o estado de Sergipe, são escassas a informações sobre Cicadellidae vetoras, os dados são limitados ao Litoral Norte da Bahia, com exceção de vaga citação sobre quatro gêneros (Oncometropia, Acrogonia, Dilobopterus e Homolodisca) e três espécies (Homolodisca ignorata Melichar, Acrogonia sp. e Homolodisca spottii Takiya, Cavichioli & McKamey).


Citrus leafhoppers, Vectors of of Bacterium Xylella fastidiosa Wells et al.: Potential Pest of Citrus Crops in Sergipe State


Abstract. The citrus industry in Brazil plays a role of great economic, social, generating jobs, income and development. Brazil is the largest producer of citrus, the State of Sergipe stands out in 5th place in national production. Among the many pest problems faced by Brazilian citrus is Citrus Variegated Chlorosis (CVC), known as the yellowing caused by the bacterium Xylella fastidiosa Wells et al. The CVC was officially identified in Brazil in 1987, in orchards of “Triângulo Mineiro” and North and northwest of the state of São Paulo. In the Northeast Region of Brazil, was found in 1996 in the municipality of Boquim Sergipe, and Bahia in 1997, the municipalities of Rio Real and Itapicuru. The aim was to review the literature on the species of leafhoppers vectors of CVC, and verify that occur in the state of Sergipe. The first symptoms are seen in the leaves, then go for the fruits and end up affecting the entire plant, and to be perceived can take between five months and two years. The main vectors of X. fastidiosa in citrus are the sharpshooters of the family Cicadellidae. In Brazil 12 sharpshooters species have already been confirmed. For the state of Sergipe, is scarce information about the Cicadellidae vectors, the data are limited to the northern coast of Bahia, except for vague quote about four genus (Oncometropia, Acrogonia, Dilobopterus and Homolodisca) and three species (Homolodisca ignorata Melichar, Acrogonia sp. and Homolodisca spottii Takiya, Cavichioli & McKamey).


Palavras-chave


Amarelinho; Cicadellidae; Citrus; Cicadellidae; Citrus; Little Yellow Disease

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



|    Licença de Uso    |     Normas para publicação (PDF)   |    Projeto do Periódico   |   Política de Privacidade    |    Currículo Lattes (Busca)    |   Scielo     |     Títulos de Periódicos ligados à Entomologia e suas Abreviações     |      Ortografa!

Indexadores:

Latindex   |   SEER/IBICT     |    Dialnet     |    Agrobase - Literatura Agrícola     |   Sumários de Revistas Brasileiras     |     DOAJ     |    CABI Abstracts     |    LivRe!       |   RCAAP   |    Diadorim    |    Electronic Journals Library   | Eletronic Journals Index  |   Fonte Acadêmica - EBSCO  |   ZooBank    |   Zoological Records    |   Agro Unitau    |    BASE (Bielfield Academic Search Engine)     

Outras fontes:

   WorldCat    |     Mendeley     |     Google Acadêmico    |    Qualis CAPES 

Copyright © 2008-2018, Entomologistas do Brasil

As opiniões técnico/científicas e mesmo pessoais, constantes nos artigos e comunicações científicas publicados no EntomoBrasilis são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores.

 

EntomoBrasilis. ISSN Online 1983-0572 - Prefixo doi: 10.12741

 

 Site hospedado gratuitamente no HostingZone

Fazemos parte da ABEC (Associação Brasileira de Editores Científicos)

Filiado ao Portal de Periódicos CAPES

Apoio