Dinâmica Populacional de Mosca-Branca, Incidência do Mosaico Dourado do Feijoeiro e Alternativas de Controle da Praga no "Cultivo das Secas" no Cerrado

Luciana Claudia Toscano, Washington Marques Aguirre, Germison Vital Tomquelski, Wilson Itamar Maruyama, Geraldo Candido Cabral Gouveia, Pamella Mingotti Dias

Abstract


Resumo. Os objetivos desta pesquisa foram estudar a dinâmica populacional de mosca-branca e do mosaico dourado do feijoeiro desde o plantio até o florescimento da cultura; verificar eficiência de inseticidas químico e microbiano no controle da mosca-branca; e analisar alguns parâmetros fitotécnicos na cultura do feijoeiro “da seca” após o controle da praga. O ensaio foi desenvolvido na área experimental da UEMS/Cassilândia - MS, em (DBC), com quatro repetições e oito tratamentos, sendo: 1) testemunha, 2) thiametoxan (50g i.a ha-1), 3) acetamiprid (60g i.a ha-1), 4) piryproxyfen (100g i.a ha-1), 5) spiromesifen (96g i.a ha-1), 6) imidacloprid (160g i.a ha-1), 7) metamidofós (300g i.a ha-1) e, 8) Beauveria bassiana (Bals.-Criv.) Vuill. (25 X 10 11 conídios ha-1). Contou-se número de ovos e ninfas em 25 folíolos por parcela e os adultos foram capturados e contados utilizando armadilhas adesivas amarelas (prévia), e continuamente nas testemunhas. As avaliações foram realizadas aos sete e 14 dias após as aplicações (DAA), e semanalmente até 51 (DAE) na testemunha. A ocorrência de ovos, ninfas e adultos de mosca-branca iniciaram-se aos 30 dias após a emergência (DAE), reduzindo aos 51 DAE, na fase de florescimento da cultura. Para o número de ovos aos sete DAA não houve diferença significativa entre os tratamentos, sendo que aos 14 DAA todos os tratamentos diferiram da testemunha exceto o tratamento B. bassiana. Para ninfas, aos sete e 14 DAA, piryproxifen apresentou melhor controle novamente. Aos sete DAA verificou-se que piryproxyfen apresentou menor média no número de adultos em relação à testemunha.

Population Dynamics Whitefly, Golden Mosaic Effect of Feijoeiro and Pest Alternatives Control in “Drought Cultivation” in the Cerrado

Abstract. The objectives of this research were to study the population dynamics of whitefly and golden bean mosaic from planting to flowering of culture; check the efficiency of chemical and microbial insecticides to control the whitefly; and analyze some phytotechnical parameters in the bean crop “dry” after controlling the pest. The test was developed in the experimental area of the UEMS / Cassilândia - MS in (DBC), with four replications and eight treatments: 1) control, 2) thiamethoxan (50g ai ha-1), 3) acetamiprid (60g ai ha-1), 4) piryproxyfen (100g ai ha-1), 5) spiromesifen (96g ai ha-1), 6) imidacloprid (160g ai ha-1), 7) methamidophos (300g ai ha-1) and 8 ) Beauveria bassiana (Bals.-Criv.) Vuill. (25 X 10 11 conidia ha-1). Counted the number of eggs and nymphs in 25 leaflets per plot and adults were captured and counted using yellow sticky traps (prior), and continuously in the witnesses. The evaluations were performed at seven and 14 days after application (DAA), and weekly until 51 (DAE) in the control. The occurrence of eggs, nymphs and adult whitefly started up at 30 days after emergence (DAE), reducing to 51 DAE, the culture of flowering stage. For the number of eggs at seven DAA no significant difference between treatments, and at 14 DAA all treatments differed from the control except treatment B. bassiana. For nymphs, at seven and 14 DAA, piryproxifen showed better control again. At seven DAA it was found that piryproxyfen had lower average in the number of adults compared to the control.


Keywords


Bemisia tabaci biótipo B; controle microbiano; manejo integrado; Phaseolus vulgaris; Bemisia tabaci biotype B; microbial control; integrated management; Phaseolus vulgaris.

References


Abbot, W.S., 1925. A method of computing the effectiveness of an insecticide. Journal of Economic Entomology, 18: 264-267.

AGRIANUAL, 2012. Anuário da Agricultura Brasileira. São Paulo: FNP. 482 p.

AGROFIT, 2015. Sistema de Agrotóxicos Fitossanitários. Disponível em: . [Acesso em 27.05.2015].

Albergaria, N.M.M.S. & J.F. Cividanes, 2002. Exigências Térmicas de Bemisia tabaci (Genn.) Biótipo B (Hemiptera: Aleyrodidae). Neotropical Entomology, 31: 359-363.

Alves, C.A., F.A. Chiorato, J.S. Silva, M.R. Aquino, A.R.A. Moraes & L.A. Lourenção, 2005. Eficiência de inseticidas sobre ovos de um dia de Bemisia tabaci biótipo B (Hemiptera: Aleyrodidae), em Plantas de feijoeiro em laboratório. In: Congresso Nacional de Pesquisa de Feijão, 8, Goiânia. GO. Anais... Santo Antônio de Goiás, GO: Embrapa Arroz e Feijão, p. 107-109.

Ambrosano, E.J. E.B., G.M.B. Wutke, E.A. Ambrosano, N. Bulisani, A.L.M. Bortoletto, J.C.V.N.A. Martins, Pereira & G. Sordi, 1996. Efeito do nitrogênio no cultivo de feijão irrigado no inverno. Scientia Agricola, 53: 338-342.

Barbosa Filho, M.P., N.K. Fageria & O.F. Silva, 2001. Aplicação de nitrogênio em cobertura no feijoeiro irrigado. Santo Antônio de Goiás: EMBRAPA-CNPAF. 8p.

Barbosa, F.R., K.M.M. de Siqueira, E.A. de Souza, W.A. Moreira, F.N.P. Haji & J.A. de. Alencar, 2002. Efeito do controle químico da mosca-branca na incidência do vírus-do-mosaico-dourado e na produtividade do feijoeiro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 37: 879-883.

Boiça Junior, A. L., F. G. Jesus, S. A. M. Carbone L, R. M. Pitta & A. F. Chioratto, 2008. Efeito de genótipos de Phaseolus vulgaris associados ou não a inseticidas, no controle de Bemisia tabaci (Gennadius) biotipo B (Hemiptera: Aleyrodidae) e Caliothrips phaseoli (Hood) (Thysanoptera: Thripidae). Boletín de Sanidad Vegetal: Plagas, Madrid, 34: 27-35.

Carbonell, S.A.M., A.F. Chiorato, M.D.V. Resende, L.A.S. Dias, A.L.A. Beraldo & E.F. Perina, 2007. Estabilidade de cultivares e linhagens de feijoeiro em diferentes ambientes no estado de São Paulo. Bragantia, 66: 193-201.

Carbonell, S.A.M., J.A. Azevedo Filho, L.A.S. Dias, C. Gonçalves & C.B. Antonio, 2001. Adaptabilidade e estabilidade de produção de cultivares e linhagens de feijoeiro no Estado de São Paulo. Bragantia, 60: 69-77.

Costa, C.L. & F.P. Cupertino, 1976. Avaliação de perdas na produção de feijoeiro causada pelo vírus do mosaico dourado. Fitopatologia Brasileira, 1: 18- 25.

EMBRAPA. Empresa Brasileira De Pesquisa Agropecuária. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília, DF, 1999. 412 p.

Faria, J.C., 1988. Doenças causadas por vírus, p. 547-572. In: Zimmermann, M.J.O., M. Rocha& T. Yamada (Eds.). Cultura do feijoeiro: fatores que afetam a produtividade. Piracicaba: POTAFOS, 589 p.

Ferreira, D.F., 2000. SisVar®: Sistema de análise de variância para dados balanceados, versão 4.0. Lavras: DEX/UFLA, Disponível em: .

Furlan, S. H., 2004. Doenças Bióticas e Abióticas do Feijoeiro. Guia de Identificação e Controle de Doenças do Feijoeiro. APTO-Instituto Biológico. 304 p.

Gilbert, N., A.P. Gutierrez, B.D. Frazer & R.E. Jones, 1976. Ecological relationships. San Francisco, W. H. Freeman. 256 p.

Garcia, M.R., A.O. Batista Neto, M.J. De Paula, F.M. Peixoto, M.E. Barros & L.G. Jacoby, 2005. Eficiência de inseticidas químicos no controle de mosca-branca Bemisia tabaci (Hemiptera: Aleyrodidae) na cultura do algodoeiro. CONGRESSO Brasileiro de Algodão 2005. Disponível em: . [Acesso 16.05.2010].

Gomez, S.A., M.M. Duarte & V.S. Rohden, 2005. Flutuação populacional de Bemisia sp. (Homoptera: Aleyrodidae) em mandiocais de Mato Grosso do Sul. In: Congresso Brasileiro de Mandioca, 11, Campo Grande, Anais… Campo Grande: UNIDERP, 4 p.

Horowitz, A.R. & I. Ishaaya, 1995. Chemical control of Bemisia- management and application, p. 537-556. In: Gerling, D. & T.M. Richard (Eds.) Bemisia: Taxonomy, biology, damage, control and management. Intercept, 702 p.

Ishaaya, I. & A. R. Horowitz, 1992. Novel phenoxy juvenile hormone analog (pyriproxyfen) supresses embryogenesis and adult emergence of sweetpotato whitefly (Homoptera: Aleyrodidae). Journal of Economic Entomology, 85: 2113-2117.

Jesus, F.G., 2007. Resistência de genótipos de feijoeiro ao ataque de B. tabaci (Genn.) biótipo B (Hemiptera: Aleyrodidae) e Caliothrips phaseoli (Hood.) (Thysanoptera: Thripidae). Dissertação (Mestrado em Agronomia: Entomologia Agrícola) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. 83 p.

Lacerda, J. T. & R.A. Carvalho, 2008. Descrição e manejo integrado da mosca-branca (Bemisia spp.) transmissora de geminivirus em culturas econômicas. Tecnologia & Ciência Agropecuária, 2: 15-22.

Lemos, L.B., D. Fornasieri Filho, T.R.B. Silva & R.P. Soratto, 2003. Suscetibilidade de genótipos de feijão ao vírus do mosaico dourado do feijoeiro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 8: 575-581.

Medeiros, F.R., R.N.S. Lemos, A.L.T. Ottati, J.R.G. Araújo, K.K.G. Machado & A.A.C. Rodrigues, 2009. Dinâmica populacional da mosca-negra-dos-citros Aleurocanthus woglumi ashby (Hemiptera: Aleyrodidae) em Citrus spp. no município de São Luís – MA, Revista Brasileira de Fruticultura, 31: 1016- 1021.

Mesquita, A.L.M., A.J. R. Peretto, Braga Sobrinho & A.G. Rossetti, 2001. Inseticida para o controle da mosca-branca na cultura do melão. Horticultura Brasileira, v. 19, suplemento Cd-Rom.

Meyling, N.V.; J. Eilenberg, 2007. Ecology of the entomopathogenic fungi Beauveria bassiana and Metarhizium anisopliae in temperate agroecosystems: potential for conservation biological control. Biological Control, 43: 145-155.

Mohan, S.K., A. Bianchini & J.R. Menezes, 1994. Guia para Identificação e controle de doenças do Feijoeiro no Estado do Paraná. Londrina, IAPAR, 44 p.

Pedroso, C., 2012. Incidência, controle de doenças de feijão-vagem e anatomia e histoquímica de Phaseolus vulgaris e Vigna unguiculata resistentes e suscetíveis ao oídio (Erypshe polygoni). Tese (Doutorado em Fitopatologia)- Universidade de Brasília. Instituto de Ciências Biológicas. 135 p.

Quintela, D.E., 2000. Manejo integrado de pragas do feijoeiro no plantio de inverno. Embrapa Arroz e Feijão. Pesquisa foco, n. 38. Santo Antonio de Goiás, GO. Disponível em: . [Acesso em: 08.05.2008].

Quintela, E.D., V.C. Batista & A.C.O. Lemes, 2005. Efeito de mistura de inseticidas químicos sobre adultos de mosca-branca, Bemisia tabaci biótipo B no feijoeiro. Disponível: . [Acesso em: 18.05.2008].

Raij, B. van, J.C. Andrade, H. Cantarella & J.A. Quaggio, 2001. Análise química para avaliação da fertilidade de solos tropicais. Campinas: Instituto Agronômico, 284 p.

Salvador, R.N., 2004. Mosca-branca na cultura do tomate. Depto. Técnico Ihara. Disponível em: . [Acesso em: 11.12. 2007].

Silva, A.G., A.L. Boiça Junior, P.R.S. Farias, B.H.S. Souza & N.E.L. Rodrigues, 2013. Impact of mosaic in golden bean. Nucleus (Ituverava. Impresso), 10: 219-226.

Silva, A.G., A.L. Boiça Junior, P.R.S. Farias, B.H.S. Souza, N.E.L. Rodrigues & F.G. Jesus, 2014. Dinâmica Populacional de Mosca-Branca Bemisia tabaci (Genn.) Biótipo B (Hemiptera: Aleyrodidae) em Feijoeiro. EntomoBrasilis, 7: 05-11.

Silva, A.G., A.L. Boiça Junior, P.R.S. Farias & J.C., 2011a. Infestação da mosca-negra-dos-citros (Aleurocanthus woglumi Ashby) em pomares de citros em sistemas de plantio convencional e agroflorestal. Revista Brasileira de Fruticultura, 33: 53-60.

Silva, A.G., A.L. Boiça Junior, P.R.S. Farias, N.E.L. Rodrigues, B.S. Monteiro & N.A. Santos, 2011b. Influência de Fatores Abióticos na Infestação de Mosca-Negra-dos-Citros (Aleurocanthus woglumi Ashby) em Plantio de Citros em Sistema Agroflorestal no Estado do Pará. EntomoBrasilis, 4: 01-06.

Stone, L.F. & A. Sartorato, 1994. O cultivo do feijão: recomendações técnicas. Brasília: Embrapa. 83 p.

Valle, E.G., L.A. Lourenção & S.P.J. Novo, 2002. Controle químico de ovos de Bemisia tabaci biótipo B (Hemiptera: Aleyrodidae) Scientia Agrícola, 59: 291-294.

Valle, G. E. D. &, A.L. Lourenção, 2002. Resistência de genótipos de soja a Bemisia tabaci (Genn.) biótipo B (Hemiptera: Aleyrodidae). Neotropical Entomology, 31: 285-295.




DOI: http://dx.doi.org/10.12741/ebrasilis.v9i1.479

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Copyright (c) 2016 ©Autores and ©EntomoBrasilis

License URL: http://www.periodico.ebras.bio.br/cc_licence.aspx

Qualis Capes

EntomoBrasilis received B3 Interdisciplinary, B4 in Agrarian Sciences I, Environmental Sciences, Teaching and Collective Health, B5 in Biotechnology, Education and Zootechnics / Coastal Resources, in the evaluation of the QUALIS system of CAPES updated in 2016. The complete evaluation is here.

Open Access Articles

|    License Agreement    |     Instructions to authors (PDF)   |    Periodic Project   |   Privacy Policy    |    Currículo Lattes (Search)    |   Scielo     |     Periodicals related to Entomology and their abbreviations     |      Ortografa!

Indexers:

Latindex   |   SEER/IBICT     |    Dialnet     |    Agrobase - Literatura Agrícola     |   Sumários de Revistas Brasileiras     |     DOAJ     |    CABI Abstracts     |    LivRe!       |   RCAAP   |    Diadorim    |    Electronic Journals Library   | Eletronic Journals Index  |   Fonte Acadêmica - EBSCO  |   ZooBank    |   Zoological Records    |   Agro Unitau    |    BASE (Bielfield Academic Search Engine)    

Other sources:

   WorldCat    |     Mendeley     |     Google Acadêmico    |    Qualis CAPES    

Copyright © 2008-2019, Entomologistas do Brasil

The technical reviews and scientific and even personal, contained in articles and scientific papers published in EntomoBrasilis are full responsibility of their respective authors.

 

EntomoBrasilis. ISSN Online 1983-0572 doi: 10.12741

 

Website hosted free on HostingZone

We are affiliated to ABEC (Associação Brasileira de Editores Científicos)

We are affiliated to Periódicos CAPES

 

Support